Bozo Memória: Pequenos detalhes da TV de antigamente

E o que é pior, nada dos gloriosos tempos da TV Excelsior ou Tupi, e sim de outros tempos. Afinal, sou velho, mas nem tanto!… A única lembrança que eu tenho da TV Tupi é um Almoço com as Estrelas, em 1979, com a Gretchen usando umas polainas imensas.

– Em partidas de futebol, parecia que a narração era feita pelo telefone (algo que recentemente foi ressuscitado pela RedeTV!, quando dá pau no RedeTV Mobile Studio)
– A escalação era dada com os nomes dos jogadores na diagonal da tela, mais ou menos assim:

Depois o negócio evoluiu: o nome dito pelo locutor ficava em amarelo e o resto em branco ou vice-versa.- Até 1994, quando os filmes eram exibidos na TV, um gerador de caracteres mostrava o logo da emissora e o título embaixo, em amarelo, de forma bem simples. Só a Band arriscou a ser um pouco diferente e colocava o logo à esquerda do título do filme (mas logo voltou a ser igual à todos). Isso até um domingo, quando a Globo estreou o “motion store”, que é a forma atual pela qual Globo, Record, Band e SBT fazem essas coisas.

– Cacetada, eu me lembro do logotipo redondo da Bandeirantes! Ah sim, em 1988 a Bandeirantes tentou emplacar o apelido “BAN”, mas não funcionou. Só conseguiu com “BAND”, já nos anos 90. Também me lembro da época em que de segunda a sexta, haviam 5 programas de auditório, no mesmo horário, mas com apresentadores diferentes e até mesmo logotipos parecidos, mas só me lembro de Xênia e Moacir Franco.

– Os crááássicos da Rannabarbéra (Dom Pixote de la Mancha, Pepe Ilegal, ets.) eram exibidos pela Bandeirantes, até a emissora virar “o canal do esporte” e eles migrarem durante uma época para o SBT (em 1994-95, uma época que eles adoram recordar, foi quando chegaram as câmeras novas na Vila Guilherme, as famosas Sony DXC-D30, provavelmente por causa do dólar a 1 real na época…)

– Curiosamente, de todos os desenhos que eram exibidos pela TV Manchete no começo da emissora, só dois puderam ser vistos de novo: Super Tiras e os Globetrotters andaram passando no Boomerang. O véio, não o de agora. Mas ainda tem uns 5 ou 6 que passavam na Manchete, alguns que eu nem sei o nome, que esses nunca mais foram vistos MESMO!…
[EDIT: Boa parte deles foi localizada por este post de 2008 do blog ICBIt’s. Alguns deles: Calvin e o Coronel, Almôndega & Espaguete (sobre os bastidores de uma banda de rock), The Grove Gollies (não sei o nome em português, mas parece que foi uma das primeiras dublagens da Álamo, que surgiu naquela época), Sport Billy e Pandamonium – que, curiosamente, era uma série bem moderna, tinha 1 ano ou menos quando foi ao ar na Manchete! ]

– Falando em séries: em 1986 estrearam Super Gatas, Caras e Caretas, O Poderoso Benson e Super Vicki na Rede Globo. O que essas séries tem de mais? É que elas foram as primeiras séries em videotape e dubladas a serem exibidas na Globo. Até então, a única coisa em VT e dublada exibida na TV brasileira eram as novelas mexicanas outros programas, como Chaves e Chapolin, no SBT. Séries e desenhos mais antigos eram dublados usando equipamentos de edição de cinema.
– A propósito, “Super Gatas” era um título irônico: a série era sobre um grupo de mulheres de meia-idade em diante que moravam juntas. Mas a série era boa, acreditem!

– Junto com essas séries, estreou Primo Cruzado, a maior adaptação da dublagem brasileira. Quem se surpreendeu com as tiradas da Maga (o pessoal que dublou Chaves e Chapolin), que em um desenho do Bozo traduziu Ozark (no Alabama, interior dos EUA) como Osasco (município da grande São Paulo, onde atualmente se localiza o SBT), vai cair pra trás ainda mais, veja se você se lembra:
Zeca Taylor seria um brasileiro, oriundo de Minas Gerais, que vai morar com seu primo, um jornalista de mídia impressa da cidade de Chicago. Bem, isso é o que ELES diziam… Na verdade, Zeca (Bronson Pinchot) era Balki Bartokumus, grego. A colônia grega não é das maiores no Brasil, mas nos EUA eles são bem reconhecidos por seus trajes e costumes, que podem ser confundidos com os dos italianos, pelos mais desavisados. Aí sim faz sentido a briga que os dois tinham, porquê o norte-americano vivia mentindo para se safar de algumas situações. A série chegou a ter um atleta norte-americano sendo chamado de… ROBSON CAETANO!
É mole ou quer mais? Mais que essa, só as redublagens do Casseta e Planeta [além das do Tela Class] e as amadoras, que tem por aí!

– Dois anos foram especiais para o áudio das emissoras de TV brasileiras: Em 1982, o microfone SM-58 da Shure virou praga e substiuiu todos os microfones de outras marcas nas principais emissoras de TV, principalmente os da Electro-Voice (lembre-se do quadro do “Show de Calouros” dos Trapalhões, é aquele). Já em 1992, a versão sem fio do SM-58 chegou a ser adotada, em determinado momento por todas as emissoras VHF, mais a TV Jovem Pan do UHF.

– Acreditem, crianças do século XXI: houve um tempo em que a Turma da Mônica se constituia apenas de Mônica, Cebolinha, Cascão e Magali, sendo que apenas os três primeiros possuiam gibis com seus nomes e, destes, apenas Cebolinha e Cascão tinham animais de estimação!… A partir de 1994 começou a haver uma certa explosão demográfica nessa turma aí, que começou a ganhar as pessoas e animais que hoje vocês conhecem.
Ah, Cebolinha pichava os muros! E Cascão vivia aventuras em clima de espionagem, não sei se isso ainda acontece. Tá legal, eles não são muito ligados à televisão (será que a Mônica já tem um televisor de LCD em casa?…), mas é o que eles estão querendo há muito tempo, ganhar de lavada da Disney, não somente em mídia impressa. [EDIT: E na época em que o post foi escrito, eles ainda não ficaram ‘jovens’ de forma oficial!]

– Antes da novela mexicana, Carrossel era o nome de um programa do SBT totalmente composto por desenhos animados, como Jem, e depois, séries (como Punky, a levada da breca – e dá-lhe Mário Lúcio de Freitas). Curiosamente, a música de abertura era uma compilação de músicas da Disney tocada em sintetizador (parece a música “Baroque Hoedown”, de Jean-Jacques Perrey, mas não é essa), provavelmente se a Disney soubesse disso a abertura do programa seria diferente, já que os desenhos tinham pouco ou nada a ver com essa empresa, não me lembro se “Duck Tales” chegou a ser exibido nesse programa.

– E Carrossel lembra o quê? Super Feliz, a última banda de música infantil nos moldes dos anos 80, eles que cantavam o tema brasileiro de Carrossel. Seus quatro integrantes eram palhaços, um de cada cor e todos mó alto astral. Algo que, penso hoje, poderia ter dado muito mais certo do que foi na época, não sei por quê.
A propósito: é verdade mes’ que em Carrossel aconteceu o mesmo fenômeno que em Chaves, onde um líquido avermelhado foi chamado de “limonada”?…
[PS: O grupo Super Feliz era liderado por Marcos Pajé, que até poucos anos antes, era um dos intérpretes do Bozo! O tema brasileiro de Carrossel é composição dele. E o lance da limonada é que eles chamam suco de outras coisas de “limonada sabor de tal”, pode ser inclusive a famosa água de Jamaica, que é uma espécie de chá gelado feita com pétalas da flor Hibiscus sabdariffa.]

– Poucos se lembram, mas o programa do Bozo foi um dos pioneiros do que hoje é praticamente a razão de ser de uma pá de programas que tem por aí: o merchã. Bozo fazia a maior parte deles, mas Papai Papudo (Gilberto Fernandes) e Vovó Mafalda (Valentino Guzzo) também phaziam alguns, dos mais diversos produtos. Só faltava o Bozo dizer “Hollywood, o sucesso, amiguinhos!…”
Na verdade, esse tipo de ação publicitária vem desde o começo da TV brasileira, mas estava em baixa naquela época e só seria ressuscitada pra valer com o programa Ratinho Livre, em 1997.
Ah sim: malditos vale-brindes, nunca consegui UM sequer na minha vida, até hoje!!! Será que tem comunidade no Orkut “Eu nunca ganhei um vale-brinde”? Deve ter.

Anúncios

4 Respostas para “Bozo Memória: Pequenos detalhes da TV de antigamente

  1. Eu lembro, DuckTales passava dia sim, dia não, nas segundas, quartas e sextas, enquanto que Jen e os Hologramas(será que a série nunca teve final como Cavalo de Fogo?), como nas terças e quintas, saudade desse tempo!
    Também gostava do grupo Super Feliz, eu, pessoalmente, ficava vidrado naquela palhaçinha, única integrante feminina do grupo, tanto quanto a Aquarela(acho que é esse o nome) que aparecia pintada com uma cor diferente combinando com a roupa e peruca usando cores do arco-iris no programa da Simony e depois Marriete!

  2. A pessoa que usava uma cor diferente por inteiro no programa da Simony era a Cordélia.

  3. Icarix, respondendo só 3 anos depois… O final de Jem eu acho que o SBT nunca exibiu, e em 2006, no YouTube dos tempos dourados eu descobri a resposta e esqueci de colocar aqui: a série teve uma segunda temporada, com direito inclusive a uma terceira banda de rock, de integrantes masculinos.
    Nunca vi nada disso no SBT, portanto, chegamos à conclusão de que o SBT só exibiu o primeiro ano dessa “novela musical” (que chegou muito antes de Chiquititas e Floribella, portanto!…)
    Foi o que eu vi no YT. No RetroJunk, descubro que a série “Jem & the Holograms” foi de 1985 a 1988, e de 1989 a 1991 com o nome alterado, apenas “Jem”. PATCHA que la párea, hajam músicas, hein?! E sem covers! Aposto que o Brasil não viu 1/12 disso, assim como a série clássica das Tartarugas Ninja, que terminaria apenas em 1996.

  4. Lembro como se fosse hoje do grupo Super Feliz! Morava em Salto-SP e num show q eles fizeram por lá ganhei das mãos da “palhaça cor de rosa” o disco do grupo na época… foi um dia inesquecivel, ficou na memoria!
    Gostaria de saber como estão os integrantes do grupo nos dias de hoje, alguém sabe de alguma notícia?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s