O Pânico cola o que gruda!

Cês não sabem a trabalheira que isso dá!E com mais de 24 horas de atraso – mas pelo menos antes da reprise, vamos ao que rolou no Pânico da TV deste último domingo! Infelizmente, uma exclusividade deste blog de quinta categória, não deveria ser assim, mas vamos nessa.

Meda (graças ao RedeTV!i), mais uma vez com Christian & Pior, a dupla dinâmica. Em uma eleição dos 50 mais sexies (25 homens, 25 mulheres, segundo uma revista aí), Pior pergunta pra galera porquê não tem o pessoal daqueles que viram a chegada do homem à lua ao vivo, na TV Excelsior… Ou daqueles que, sei lá, estavam na oitava série e batiam no seu pai no colégio, quando estava na quinta…
Muitas entrevistas, luxos, gramúr e… Humberto Martins? Porquê não será a primeira vez que nos depararemos com o ex-general kubanaquenho neste programa.

– Na nossa VHS, comecçamos logo de cara com a Musa da Beleza Interior em mais uma cidade praiana, no Ceará. Argh… Não pegou muito bem o lance de Vesgo e Sílvio ficarem brincando com phèses de jegue, isso tá mais pra Guerrilhas Urbanas do que pra Pânico na TV.
Em compensação, um angolano rouba a cena dançando kuduro, esse (involuntariamente)  phamoso ritmo de Angola, a nação que começa a se apaixonar por Bart Simpson, sem saber que já já ele será substituído pelo Homer…
E mais uma bela candidata é revelada no concurso mais sem objetivo definido da TV brasileira.
Durante a matéria, um ‘cabelelero’ tenta roubar a cena e… consegue. Gostei do logotipo do Em nome do Amor, o pessoal foi fundo no baú. Não é igual ao do antigo programa do SBT, é um mega-trocadilho que eles fizeram, à nivel de Salt Cover, parabéns!

Pânico Delivery. O quadro já surpreende pela aparição de um ex-habitué do programa, e que atualmente é só habituè do blog Universo Pânico, Marcelo de Senna (e quem sabe ele leia este post). Aliás, há uma sacanárre no ar, pois a matéria que iria marcar sua estréia no Pânico na TV foi engavetada e está lá junto das pegadinhas do João Kleber. Mas a vítima não é ele, e sim um oriental without notion, mesmo porquê quase ele se deu mal pegando clientes na rua. É, não é isso que geralmente se vê nesse quadro, mas… Sei lá, assistam aí, seus pudim de kxassa!

– Pseudo-novidade: Pânico no Vale-Tudo Carioca. Após lutarem uns contra os outros, o elenco extendido do Pânico parte para outras plagas. E agora, Alfinete (Untitled), Agulha (Paulinho Serra) e Xupla (Daniel Zukerman), com a apresentação de Christian Pior, encaram duas lutadoras de jiu-jitsu e artes marciais que tais. Apesar de nenhuma delas ser um ‘armário’, elas fizeram bonito, na verdade, digamos que quase ganharam por WO. Tem gente que gosta de mulheres dominadoras e deve ter ido à loucura com um quadro desses, assim como um SBT Repórter da velha guarda que mostrava uma loura com um físico melhor que o do Incrível Hulk. Aliás, “Mulheres Dominadoras”… tá aí uma sugestão pro Manoel Carlos.

Sabrina no Senado de novo again outra vez. Dei FF ontem na fita, mas em consideração a vocês, uma descrição um pouco mais aprofundada. Sabrina pergunta aos ilustres representantes do povo (bem, em tese seria isso) quem seria o “senador do mês” da casa.  Um dos senadores ‘votou’ em Marco Maciel… calafrios por parte de alguns blogs que eu conheço. E pela primeira vez aparece um senador muito “querido” pelos internautas do Brasil, Mr. Edward Azered. É agora que eu não durmo mais… Pra quem não está farto dessa fórmula, matéria até que bem razoável.

Amaury Dumbo começa com uma trilha sonora de primeira… Muitas entrevistas com gente de primeira e uma galera mais ou menos (Christiane Torloni simpaticíssima, Humberto Martins que assistia as novelas dela na inphância, nem tanto) O Pânico na TV recebeu um prêmio desconhecido. Destaques para o produto da Dumbo Sucos e Lanches que mistura os dois conceitos (blëargh) e o solo de bateria de Fred Mercury Prateado. Só os presentes do Dumbo Eletro é que andam meio fracos, ultimamente.

Dicas de como aproveitar a vida na fazenda (com F maiúsculo ou minúsculo), com Marcos Chiesa & Director Boline – vestido de “Britto Jr” (aliás, como esse cara tá famoso, o máximo que ele teve na Globo foi uma caricatura em uma série de matérias do SPTV). As peripécias do Johnny Knoxville brasileiro começam com ele servir de arado. Bola também é vítima de uma brincadeira que vimos em um vídeo no YouTube, e pelo visto, funciona. E ele recebe uma “intervenção artística” de forma extrema em seu corpo!! Lembra da novela O Rei do Gado? Pois é, Brasil… até o Diretor Bolinha ficou balançado ao ver o que fez.

Sabrina, Zina e Alfinete em mais uma matéria inédita (acreditem, não é reprise…) direto da Granja Comari. O lance é que Zina bolou uma “estratégia” para a seleção vencer. Esquece 4-2-2, WM, e outras. Uma estratégia tão revolucionária que tem 12 jogadores em campo…
Eles tentam entrevistar os jogadores da selecção na zona mista, mas infelizmente poucos param para conversar. Entre estes Luís Fabiano, autor de um dos gols, aêêê! Outros querem distância de la chusma, como Mr. Lins de Vasconcellos. Diz aí, Bóris: “Isto é uma vergonha!”
E Zina, sonado (100% culpa da CBF, com seus horários militares) e espontâneo como sempre, embora pareça ter ‘dormido com o Bozo’, inclusive terminando a matéria ao som de gigantes da música, como Xuxa Meneghel…..
Recebi um comentário recentemente de alguém dizendo que não aguenta mais essas matérias. Rapaz, eu também não. A fórmula está muito presa (só perde para Scooby-Doo e Chaves), acho que estava na hora de Zina ser tirado de contexto, justamente como faziam com a frase “Ronaldo” dele. Matérias em companhia de outros repórteres do programa, por exemplo, ou uma entrevista com a Marília GabriHerpes, já tava na hora mesmo de Zina voar outros ares redetevísticos.

Vesgo e Sílvio versão control-shift-alt no show do Blue Man Group – aqueles que estavam no Programa do Gugu e que fazem os comerciais da Tim. Logo de cara, Sílvio (Rodrigo Scarpa) mata a todos com as piadas mais infames que eu já ouvi na minha vida. E Vesgo (Eduardo Sterblich) carregando as pessoas… ah, os créditos estão corretos, são eles mesmo que fizeram essa matéria, juntos pela primeira vez. E o Ceará é meio ciumento, sei lá, o Sílvio Scarpa estava com a roupa e microphone do Couve Santos.
Eles iriam entrevistar o Blue Man Group. Iriam. É que eles não falam, e à bem da verdade, adubaram e andaram para nosssos control-alt-repórteres. Mas o que SALVOU TOTALMENTE A MATÉRIA foi uma solução caseira: o show popular da versão anã do grupo – roubaram a cena geral, e o pior é que até as feições dos anões véios de guerra do programa se parecem com as dos originais! De repente se os originais verem, eles podem até gostar.
O Blue Man Group também atazanou os intervalos comerciais, em propaganda da TIM, subvertendo um concerto de música erudita – rapeize, eu conheço pelo menos 7 pessoas que devem ter odiado de morte esse comercial, fora o meu saudoso pai, que talvez curtisse se eles tivessem ido pro lado do jazz.

O Impostor. Nesta edição, ele entra em uma famosa e exclusivésima academia repleta de celebridades entre seus clientes. Tal exclusividade e fama, parece, não foram suficientes: a edição não deixa transparecer isso, mas foi uma das invasões mais fáceis que eu já vi. A missão dele foi dar um “Zé Toalha” em uma celebridade. Ele conseguiu, mas não passou em branco, porquê foi reconhecido por Marcos Mion, que conversava com a mesma. Sacanárre, Mion (Tutinha é o pai do Pânico, e Marcos Mion, uma das mães).

O Fã, aquele que conhecíamos como Nooooooooossssaaaaaaa continua azucriando celébretes no aeroporto de Congonhas. Há, quero ver fazer isso em Guarulhos, com o pessoal da Folícia Pederal (estratégia anti-Google) ouvindo tudo, e azucrinando superstars internacionais ou nem tanto. E desta vez até que ele conseguiu mais de um autógrafo. Um parênteses: está aí um exemplo de alguém que só gritava “NOOOOSSAAAA” e conseguius e renovar, olha aí, Zina, your potato is roasting, man!

Zé Grelha, o irmão mais sacana ainda do José Toalha. Como as pessoas reagem àáà phumacça? Pois é, Zé Grelha surge e do nada, faz churrasquinho de gato em diversos ambientes fechados. E no final, quase se dá extremamente mal, mais do que todos os revéses que já aconteceram com o Vesgo!!. Se não for uma propaganda serrista disfarçada, quadro legalzin.

Marília Gabi GabriHerpes, salvai este programa. E ela entrevista o Mallandro original, que dá uma aula de mallandragem para Edu Sterblich, ye-yeah! Que andava precisado semana passada. Intercalando entrevistas com Flávio Arruda (Carioca) e Saxha (Edu Sterblich, impecável não fosse pela tecnologia de perucas da RedeTV!). Taí, se tem alguém que precisava ter sido entrevistada durante essa crise… Arruda ensina a regra do “Sempre, Talvez e Nunca”, que vira quase um  número musical de Hollywood. Mas o final é impagável: Carioca imita Vanusa, cantando adivinha que música. O áudio é o original, e por pouco, você pensa que as imagens também. Parabéns, Gabriherpes, eu sabia que poderia contar com você!!!

Cola-Cola: Não, não é um refrigerante, é o mais novo quadro do programa. E que fique registrado: o primeiro quadro externo ao vivo DE VERDADE do Pânico (a RedeTV! até então tinha uma estrutura de links comparável à da Salt Cover). Imitando Luciano Huck e Geraldo Luiz, o programa fica com um link mostrando um telephone público. A dipherença é que quem atender vai ganhar… mãos coladas no telefone. E não é que eles conseguiram seu primeiro ‘vencedor’? Bom pra dar uma agitada no marasmo de final de programa. [EDIT: Atencción, há dúvidas quanto a autenticidade deste quadro! Estamos examinando os nossos VTs.]
E assim, meio grudado, termina il Panico nella TV de questa settimana! Arrivederci, bambini!

6 Respostas para “O Pânico cola o que gruda!

  1. eu me ofereço, eu =D

  2. Vem cá, Igor… eu sei que esse não é bem o blog adequado, mas me responda: o episódio do Chaves em que há um parque na vila e que a Dona Neves e o Prof. Girafales andam de carrossel é considerado perdido?

    Porque eu não lembro de tê-lo visto.

    > Essa é a segunda parte, a primeira parte, sim, nunca foi vista no Brasil. A segunda, já mais habitualmente, embora não seja muito comum vermos a parte onde Chaves atira e derruba o chapéu do prof. Girafales.

  3. Filipe, esse episódio que você cita é o que se canta a música “Quando Me Dizes”, é um episódio comum.

  4. Obrigado, gente!

  5. quem escutar o quadro cola cola bem alto vai escutar o Bolinha falando. “Não olha pra mim!”
    kkkk esse quadro é mentiroso ninguém caiu…

  6. exatamente aos 2 min e 53 seg ele fala isso. que coisa feia!!!

    > Nossa! Vou conferir a gravação. Obrigado pela audiência!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s