Arquivo da categoria: denúncia

Este blog não tem nada a ver com esportes, mas…

Está lá, só na Folha de São Paulo impressa, para não causar revolta entre os internautas! Há, mas não mais! Dançou, Sepp!

Você sabia que para qualquer barzinho que se preze colocar um telão ou televisor de 29″ passando jogos de la Copa do Mundo deste ano, esse barzinho terá de escrever pedindo autorização, em inglês, à FIFA?
E mais: SE aprovado, a FIFA passará um E-Mail ao qual a pessoa também deverá escrever pedindo autorização à Rede Globo?
E caso essa pessoa seja aprovada ela vai ter que pagar um preço, de número de dígitos não conhecido?
E se esse dono de bar não fizer isso, corre o risco de ser denunciado por seus concorrentes, que podem fazer ele ser proccessado?

Alô Partido Pirata do Brasil, o que vocês acham disso?…  Pois é, acho que nesta Copa eu vou fazer como fiz na última: só ligar a TV quando ouvir gritos pela vizinhança e olhe lá. Ou nem isso.

FUTEBOL, ÓPIO DO POVO!

Voltamos à nossa programação anormal.

Campanha Volta Perdidos Chaves e Chapolin

Atenção, YouTubers sobreviventes: aqui está um vídeo pra vocês assistirem. Não é da Televisão Salt Cover, mas é muito importante!
Não é lenda urbana: há episódios de Chaves e Chapolin que não passam mais. Essa campanha, lançada por fãs das séries, pretende desengavetar tudo, inclusive episódios  inéditos – como os dois de Chapolin exibidos pela primeira vez nesta semana, dublados na década de 90 – que estão engavetados dentro do SBT.  Assista e divulgue os links abaixo:

Trecho: http://www.youtube.com/watch?v=d32U7wVInJg

Parte 1: http://www.youtube.com/watch?v=_th_-6U9DJg
Parte 2: http://www.youtube.com/watch?v=wxtJvS8FiUM
Parte 3: http://www.youtube.com/watch?v=R-0QTLI6Zy8
Parte 4: http://www.youtube.com/watch?v=tTngnG38zeU
Parte 5: http://www.youtube.com/watch?v=C72Mph8rKJ0

Campanha Volta Perdidos – Chaves e Chapolin.
Apoio e divulgação, Rede Igor C. Barros

Parabéns pra vocêee… Primeiro desenho animado do mundo phaz 100 anos!

Em 17 de agosto de 1908, o diretor Émile Cohl, exibiu o que pode ser considerado o primeiro desenho animado da história. Até então, eram usadas técnicas um tanto artesanais de projeção, usando aparelhos específicos, e em Fantasmagorie, pela primeira vez, o resultado era uma película, um filme, igual aos gerados pelos cinematógrafos, mas com imagens “artificiais” nele, e que era reproduzido por um projetor de cinema. 700 desenhos foram fotographados para gerar o curta, com um pouco mais de 1 minuto.
Assim como o primeiro avião com motor e que decolava sozinho, criado por um certo Àlbert Santôs Dúmont, tudo começou em Paris… Em 1912, Cohl foi para os EUA onde sua técnica se espalharia e hoje você fica aí assistindo Billy & Mandy e Ben Ten. Tchênsk!! Técnicas essas que eu ainda preciso aprender, sei lá se existe mercado negro para livros da editora Walter Foster… (esse assunto, por sua vez, rendia outro blog).

Esta é a verdade, portanto. Agora, se você quiser dar boas risadas sobre o tema, ao maior estilo Desciclopédia, veja o site do Zicky Zira, o rato de 227 anos de idade…

SBT, quem te viu e quem te vê

Tribuna da Imprensa: “Tele Sena pode ser proibida”
É aquela velha história da Tele-Sena ser uma loteria disfarçada de jogo, etc. e tal. Gente, se o SBT já tá assim com a TS, imagina sem!… A última é que o SBT foi proibido de usar o nome “novosídolos” e o pessoal sacou de última hora um concurso para escolher um nome para esse novo programa, com os jurados do Ídolos antigo.

Uma curiosidade, que eu já vi sendo dita por órgãos independentes como a AllTV: a probabilidade de se ganhar um prêmio na Loteria Federal é 105 vezes mais fácil do que ganhar um prêmio na Tele Sena. Com raspe aqui, raspe ali e raspe acolá!

  • Devido a uma decisão judicial que pode retirar a WordPress do ar no Brasil (Logo a WordPress, onde se tem liberdade de expressão total e absoluta, meu Deus do céu?!), este blog está voltando ás suas atividades normais. Mesmo sem snapshots, sem páginas paralelas, sem contador de visitas que não conta a sua própria e tendo o conteúdo completamente monitorado pelas corporações Google. Isto é o Brasil, minha gente. É por isso que eu disse e reafirmo: eu ainda morro fora deste país.

Shop Mudo

O canal Shop Tour passou uns 5 dias desta semana sem áudio, na Net Digital. Que promoção será que a TVA andou aprontando, hein?… Skavurzka!!

Aproveitando, o canal agora começa enfim a deixar de parecer o “programa” Shop Tour. Um discreto relógio dá hora e temperatura em algumas cidades do Brasil (Curitiba, Rio, São Paulo e Porto Alegre). Mais quadros começam a ser feitos por repórteres com microfone na mão, aliás, caras novas, sempre “duca” – embora parece que a ausência de Zé Luiz começa a se fazer sentir.

Neste momento vejo o comercial da Sabrico One. O meu irmão está a alguns metros dali, na produtora Tela Mágica, retirando uma câmera alugada com a qual vou passar pelo menos 16 horas longe de vocês graças a um casamento em Atibaia.
Detesto ir a casamentos de quem quer que seja, só vou curtir provavelmente os casamentos dos meus irmãos ou o meu próprio, com a Jen… se bem que ela deve ser casada, não é possível. Mas este casamento será sui generis, por isso, “ao bidê”. Voltamos depois das bodas nupciais, aguardemmmm…

Site de jornal está fora do ar

Desde o dia 29, o site do jornal Tribuna da Imprensa está fora do ar, dando um erraço, superior ao 404 e a Suspended.page, o de que o próprio browser não achou a página.
That’s a feather. Tá certo que eu lia a coluna menos politizada do jornal, a “Canal 1”, de Flávio Ricco (publicada em vários outros jornais), mas, sacanaje com Hélio Fernandes, um dos maiores rivais que Roberto Marinho já conheceu.

O site voltou ao ar 4 dias depois. Será que eles escreveram alguma coisa sobre a NET e eu não sei?… Skavurzka!!

Como é que é??

Comentários postados em uma matéria do Observatório da Imprensa dizem algo, no mínimo, surpreendente sobre a televisão européia. E espero que fique somente por lá!

Duas pessoas disseram que na Inglaterra e na Irlanda (o que dá a entender que isso vale em todo o Reino Unido), as pessoas tem que pagar para assistir… TV aberta! É uma taxa anual, que, se não paga, a pessoa pode simplesmente ter o televisor apreendido pela polícia.

Parece-me algo anacrônico demais para ser adotado por um país de primeiro mundo. Sério, me lembrou “1984” de George Orwell, talvez uma ação do Ministério do Amor… Então, se alguém souber qual seria o real motivo para isso acontecer lá, please, diga-nos nos comentários.
E que Serra ou Kassab nunca leiam este post, senão estaremos fritos, assados and cozidos.