Arquivo da categoria: evangélicos

Chama o síndico! Silvio Maia

A seção de E-Mails Comentados do Charges.com.br é tão visitada quanto as próprias animações do site. E no dia de hoje ela destacou Silvio Maia.

Até então, só havia esbarrado com Silvio Maia em alguns sites apologéticos. Apolo o quê? É um lance aí do protestantismo, onde uns são diferentes dos outros. Assim como no catolicismo, onde existem as diferentes ordens sacerdotais com características distintas (vide os atritos entre franciscanos e beneditinos em “O Nome da Rosa”). E alguns são bem diferentes MESMO. Tem os que consideram a bateria um instrumento do inferno (bateria, usada em músicas hardcore como as de George Benson e Celine Dion……), e tem outros que até são tatuadores, pra vocês terem uma noção da amplitude a que isso chega.  Apologética seria a análise de algumas dessas coisas, dessas possibilidades, que acabam se revelando, digamos, não muito legais… (isso pra evitar ao máximo os jargões do gêner0). Não é o caso nem de uma coisa, nem de outra que eu citei como exemplo acima.
Bem, Silvio Maia é um desses casos. Ele canta forró mas em um estilo hiper animadaço, dançando no palco com uma vontade rara de se ver, que às vezes lembra até Michael Jackson. Primeiro, não é comum cantores evangélicos das Américas sequer dançarem, quanto mais desse jeito (na África é outra história). Pois é, e dos sites e blogs evangélicos, foi parar em um site laico, o Charges.com.br… A pessoa que indicou o vídeo disse: cuidado, que ele pode disputar o próximo VMB como webhit… Quem sabe se ele produzir videoclipes, de repente… (tudo o que se vê são gravações dentro de igrejas).  Por enquanto, ele tá mais pra Top Five do CQC.
Silvio Maia, em várias de suas músicas e performances, é facilmente encontrado no YouTube. É, isso mesmo que você leu, você não está bêbado. Acho que este é o primeiro post com esta palavra-chave em mais de 2 anos.

Uma notícia sobre o Grammy Latino tenho que vós não conheceis

O Pãnico na TV de ontem enfim mostrou uma matéria envolvendo Daniela Cicarelli, que não envolvia nem numerais nem sites de vídeo, o que já é uma evolução.
E mostrou o quase-rival Marcelo Tas em algumas gafes bem, digamos, cabulosas (parafraseando outro famoso apresentador de prêmios que tais), como a sub-dupla sertaneja César & Menotti.
Os dois apresentaram um Grammy que, em matéria de falhas, só perdia para o Canal Aberto fase séria. Aliás, fora o fato de que não havia a entrega dos troféus em si. A Milli do Universo Pânico resumiu bem: “a Band teve seu dia de RedeTV!”

Mas uma outra notícia sobre o Grammy circula por aí que ninguém falou: a inesperada premiação de Soraya e Márcio Moraes, cantores gospel que ganharam o Grammy em uma categoria “geral” – melhor canção brasileira, desbancando artistas do porte de Vanessa da Mata, Jorge Vercilo e Djavan.
Eles também venceram os Grammy Latino de melhor álbum gospel em língua portuguesa (“Som da Chuva”) e até de melhor álbum gospel em língua espanhola (“Tengo Sede de Ti”) – acho que nessa categoria, devido ao número de países, haviam muito mais concorrentes.
Me desculpem, mas Soraya Moraes, ééée, éééééééé, é do BrasilllllllL!!

Nhaehperáááánça…

Sabe aqueles programas que passaram quinta, sexta e sábado na Band, o Minha Esperança? (O título do post é em homenagem aos cantores hispânicos que cantam a música-tema em português) Que contaram com a participação inclusive de pessoas que você conhece, como Kaká (com depoimento gravado na Itália!!), César Sampaio e Percival de Souza, entre outros?

É engraçado como são as coisas (Não, a Salt Cover não teve nada a ver com isso, inphelismente) Mas fiquei sabendo em junho que isso iria passar no Brasil, depois de ser exibido em todos os países da América Latina. Eu fiz as gravações com dois dos ‘cabeças’ dos que trouxeram isso para o Brasil, além do pessoal da Associação Evangelística Billy Graham, que foram incluídas em um DVD para pastores. Portanto, ninguém de vocês viu nada, mas não tem problema, esse é o meu trabalho, Brasil…
Também conheci pessoalmente, há 2 anos, o locutor e apresentador Fausto Rocha (ele trabalhava no SBT, nos anos 80, em plantões de notícias), que nesses programas se tornou o dublador ophisial de Billy Graham – e não perdeu o “boneco” (como se diz no meio de dublagem) nem durante o filme Compromisso Precioso, no qual Billy Graham faz uma ponta. (Eu vi, sei lá se os meus jefes iriam cobrar alguma coisa depois. É um dramalhão, mas dava uma boa Sessão de Gala.) Aparentemente o trecho foi redublado, porquê o som estava muito melhor que o som da dublagem – carioca, inclusive, contando com dubladores do nível de Orlando Drummond, Selma Lopes, e o saudoso Newton da Matta, falando terminologia evangélica e tudo o mais.
E, já que estamos no ramo, milagre: o filme (telefilme, mas tá valendo) é de 1999. A maioria dos filmes evangélicos distribuídos no Brasil são velhos pra dedéu, são no máximo do início dos anos 80. Um produtor desse segmento que cheguei a conhecer me disse que o dinheiro rareou pro pessoal naquela época, mesmo nos EUA, e a produção caiu muito. Lembrando que ninguém tinha como bajar los philmes que eles faziam em 1984, portanto acho que tem uma galera aí que está reclamando de barriga cheia (imagine o Jabba the Hutt, depois de uma sessão de Boi no Rolete. Segue, ténica, segue.)

E agora, algunas cositas que vocês não sabem sobre o Minha Esperança. Foi investido um valor muito alto para que esses programas fossem exibidos nesse horário – alguns milhões de reais, dispendidos bem antes da “crise mundial”. Esses programas, com outros depoimentos, já foram exibidos em todos os países da América Latina, e o Brahhhil era o último que faltava.
E chegaram a ser procuradas as emissoras Globo e Record. A primeira rejeitou exibir os programas (embora o preço fosse suficiente para pagá-los!!) porquê disse que já estava com a agenda fechada de programação até o final do ano, uma explicação até que razoável. Já a segunda, a minha phonte não deixou muito claro o motivo, mas parece que a IURD encarou Billy Graham, um dos maiores evangelistas do mundo, como concorrente, assumindo portanto seu caráter sectário, já que todos os demais evangélicos do Brasil (rivais da IURD e todos os outros) estavam apoiando essa campanha.
Ah, Sport Billy Graham acaba de fazer 90 anos, portanto a mensagem dele no programa deve ser dos anos 90. Em 2006 foi feito um evento no Central Park, em Nova Iorque, onde Graham se “aposentava” como pregador. Dizem que parou a cidade…

[Cometi uma gafe federal, estadual e municipal: o Grammy é na próxima quinta, en la tela da Band.]

Você acha o seu emprego ruim?

E o que dizer, então, do pessoal responsável por colocar Closed Caption na programação da Igreja Mundial do Poder de Deus?
Não sou contra essa programação, é que frequentemente você se depara com pessoas, durante esses programas, que falam coisas que podem não ser inteligíveis de imediato, além de VTs com baixa qualidade de áudio, que só dificultam ainda mais o trabalho de quem precisa fazer isso, fora a terminologia evangélica, que duvido que faça parte do vocabulário dos programas que fazem o closed caption.
O Closed Caption, pelo que eu deduzi, é gerado pelo Canal 21 (na sede da Band), não na igreja, o que mostra que o Canal 21 está mais ou menos como a Salt Cover, meio que em estado de coma, mas ainda sonha e tem planos para um futuro distante… Falta só eles trocarem de transmissor, como fez a Gazeta, pra imagem melhorar um pouquinho.

Por outro lado, há outro programa que, pra quem não gosta, esse sim seria muito pior de digitar Closed Caption: Chaves. Aquele, dos bordões e episódios reprisados á granel. Esse merecia aquele Closed Caption pré-gravado, como o das novelas da Globo e dos filmes.
A propósito: vocês acreditam que, no original, Chaves e Chapolin tinham Closed Caption?! Pelo menos desde 1974, quando eu tinha -2 anos.

Lá é assim

A Fox News está transmitindo um programa muito curioso, chamado Saddleback Civil Forum, no qual estão sendo entrevistados, um de cada vez, os candidatos a presidente dos EUA, John McCain e Barack Obama.
O curioso é que esse programa é feito a partir de uma igreja evangélica, e o entrevistador é o pastor Rick Warren (autor deste livro aqui, que vendeu feito água há uns 2 anos). Rick conhecia ambos pessoalmente… e o meu querido rréfe , que paga o leite das crianças, já esteve lá nesse lugar.O evento, como se não bastasse, é também transmitido pelo canal rival, a CNN!  É, lá, Universal é apenas uma produtora de cinema…

*PS: O Google deve estar tendo algum problema com a produtora Universal Pictures. Ia colocar o link do site oficial brasileiro deles aqui, mas o Google diz “este site pode danificar o seu computador”… vai entender. Pela quantidade de processos que ambos tomam, o Google devia mesmo era comprar o Pânico na TV.