Arquivo da categoria: Gazeta

Será que sou SÓ EU que vejo vídeos no site da RedeTV!?

O nosso télespéctador Hamilton diz que eu sou a única pessoa que ele conhece que assiste frequentemente a RedeTV!. Então, no site, deve ser mais ainda. Olha só o flagra: Um vídeo de Amaury Jr., datado de 1985, em preto e branco, que no YouTube poderia quem sabe ter no mínimo, algumas centenas de acessos (ou muito mais se tivesse um uploader conhecido, como o José M. Neto), teve, hoje, a sua SEGUNDA exibição para nós!
E, detalhe: se fosse via MofoTV, seria um original em VHS. Aí, nesse caso, é um original em U-Matic, que tem qualidade melhor (mesmo que as cores tenham se perdido). Amaury Jr., inclusive, usou os serviços da empresa Procimar para converter todo o seu arquivo de fitas U-Matic e possivelmente algumas Betacam em DVD.
Amaury Jr., com um flag desconhecido da TV Gazeta, entrevista João Dória Jr., o então governador José Maria Marin (falando sobre o avanço do hoje DEM em São Paulo), Marta Rocha, o casal Bruna Lombardi e Carlos Alberto Ricceli, Tavares de Miranda (que tinha um programa na TV Gazeta anos antes), Roberta Close, Goulart de Andrade, Walcyr Carrasco e Terezinha Sodré. Se alguém mais além de mim tem curiosidad, o link é esse aqui.  Na época, o programa se chamava Flash e tinha uma abertura até que bastante caprichada para os padrões da época. Talvez o máximo de sofisticação que havia era o insert – e um a cada 5 minutos. E nem sempre bem escolhido!… Mas, taí.
E detalhe, estamos falando de Amaury Jr, que faz um programa classe AAA Machado de Carvalho platinum plus, não de outros tipos de programas que passam na mesma emissora horas antes……

Anúncios

Era só o que phaltava[329]… Gazeta Shopping

Pela primeira vez, a TV Gazeta está fazendo uma versão do Shop Tour, mas chapa-branca: chama-se Gazeta Shopping, tem no casting de apresentadores uma ex-Shop Tour e tem logo da emissora na tela.  Muito embora os anunciantes sejam mais manjados que não sei o quê: Camisaria Fascynios (site em construção), Fenomenal e Têxtil Abril. Os três são figurinhas carimbadas, manjadas, marteladas na TV aberta de São Paulo, é algo entre os episódios de Chaves e a primeira temporada de Naruto de tanto que eles aparecem na TV (só perdem pra Polishop), e, sinceridade, mesmo só tendo um único terno e não sabendo amarrar gravatas, o único que eu dou uma olhadinha é o da Fascynios, graças á inventividade do empresário que faz os anúncios, o resto…
O que será que o Galebe deve estar achando disso?… Ele, inclusive, que chegou a visitar este blog quando era apenas no Blogger!

O Gazeta Shopping inverte, curiosamente, o conceito do penúltimo programa do Sérgio Mallandro (antes do “Mallandro 220 Volts”), por volta de 2005, que era nitidamente feito nos estúdios da Gazeta, mas não tinha o selo da emissora na tela. Na verdade, já vi programas do Canal Universitário mais bem produzidos (alô pessoal do CRT-Mackenzie, um abraço!). Parecia até que a emissora se envergonhava de fazer aquilo…

A propósito, o 220 Volts está fora do ar porquê ele está se candidatando a vereador na cidade de São Paulo. Pena que não fosse à senador, porquê eu tô doido pra mandar um recado pros nossos senadores, sabe?…….

Toma Lá Dá Cá reestréia y…

– Uma adolescente com trejeitos de um cão pheroz. Influência de Caminhos do Coração?…
– Quando Álvara sai de cena pela última vez, dá pra ver um transmissor do microfone sem fio com ela de costas. Essa vocês conferem quando sair o DVD da Globo Marcas…
– E eu conphesso que fiquei surpreso ao ver Isadora (Fernanda Souza), que na minha memória ainda era a Mili de Chiquititas 1 (eu só via as chamadas, nos intervalos de Chaves, Chapolin e Disney Club, que fique bem claro) entrando em cena e pegando uma dose de uísque… Caramba, estou velho…
– Ah, agora os GCs são em GloboFace. Desconfio que alguém da Globo anda lendo os meus blogs… Se alguém me puder mandar capturas de créditos dos anos 80 em 720×480, eu agradeço, viu?…

O Cardoso do bem

Depois de Augusto Xavier e Marília Gabriela, mais um jornalista foi visto cantando por aí: Celso Cardoso, da TV Gazeta. E no programa “Pra Você”, que já apareceu no “top five” do Custe o que Custar umas duas vezes. Pelo menos ele não canta mal (dscurpaê Xavier, mas assim é)! Aliás, em 1995 tinha um comercial de um shopping center onde alguém cantava a famosa música “Mamãe” do Agnaldo Timóteo, e eu achava aquela voz familiar…

O mais curioso vem agora. Já ouviram falar de “seis graus de separação”? Pois é. Celso é fã da banda inglesa The Mission (talvez você já tenha ouvido por aí músicas como “Severina” e outras) e é mais ou menos próximo de seu vocalista, que mora no interior de São Paulo e só sai de lá para as turnês da banda.
E eu mesmo o conheci pessoalmente, porquê ele fué um dos meus professores no curso de locução que eu fiz no Senac em 1995! Não passei (só aconteceram uns pequenos contratempos, como o meu pai ter falecido durante o curso, ninguém soube disso), mas 5 anos depois, com o centro de comunicação e artes do Senac em outra sede, tornei-me editor de imagens profissional, portanto, o Senac está bem na phita. E de lá pra cá ele cresceu pra caramba na emissora, sendo atualmente um de seus principais apresentadores.

SodTV!! também é WordPress

Você já conhecia o blog SodTV! (cujo título remete ao da emissora RedeTV!, que eu assistia pra caramba em 2004, quando ele começou), o nosso blog que mostra a televisão em toda a sua glória e esplendor, ou não.
Agora estamos também na WordPress. “Também” por enquanto, claro… é só a gente se enjoar de alguns períodos de manutenção (que eu nunca vi acontecer nestas bandas), e do espaço de apenas 1Gb (contra os 3GB daqui) para subir imagens, que já já…
Bem, seja bem-vindo, pegue a pipoca e vamo assistí, taca aí!

TV Insônia: Best Shop TV.com

Viviane Romanelli era apresentadora do canal a cabo Shoptime, desde o início, em 1995, e começou a se tornar mais conhecida por ter sido contratada para fazer comerciais do Baú da Felicidade, uma vez que não tinha contrato de exclusividade com a empresa das Organizações Globo. Aparentemente o canal deve ter revisto o contrato com ela, pois ela sumiria pouco depois dos comerciais exibidos no SBT. Por volta de 2000, o Shoptime seria atração nos sábados da Gazeta, não sei se ela ainda fazia parte do Shoptime nessa época ou não.
Em 2004, ela alçaria um vôo muito mais alto, se tornando apresentadora nas manhãs da Band, sendo capitaneada por Marlene Mattos, substituindo Olga Bongiovanni. Well, Marlene foi contratada a peso de ouro para fazer a audiência da emissora subir, e não phoi o que aconteceu. Atualmente, em seu lugar, há dois programas com Annike e Daniel Bork (cunhado de João Carlos Saad, o que me lembra MUITO quando Anna Bentes Bloch – sobrenome parecido, hein? – se tornou apresentadora da Manchete…)

Bem, agora VR está de volta à praia na qual se revelou, sendo apresentadora, desde o segundo semestre de 2006, do programa Best Shop TV.com (caramba, que site mais vazio!…) Quadros até que muito bem gravados para a média das produções independentes do Brasil vão ao ar nas noites da Gazeta (que, não sei se você notou, agora tem a imagem tão boa quanto a dos outros canais concorrentes!)
O que me agrada na BSTV, ao menos, é a diversidade dos temas dos produtos, bem mais do que a Polishop (que, no entanto, atualmente vem anunciando mais câmeras fotográficas, DVD player portátil, etc… pô, só equipamento de ginástica não dá!)
Na verdade, começo até a desconfiar que a Gazeta está muito mais envolvida com a Best Shop TV do que só veicular o programa… o programa tem certos privilégios na emissora, agora ofertas deles entram no meio do Mesa Redonda, e quando começa o programa, não surge a mensagem “Este programa é uma produção independente…”

O que você não sabe é que no último sábado, das 11:30 até a 1 da manhã, foi feito o primeiro programa ao vivo da BSTV. Não sei se alguma coisa desse programa foi parar no YouTube, porquê Ms. Romanelli ficou mais nervosa até do que no primeiro programa ao vivo do Shoptime, assistido por mim em 1996. Errou uma receita de limonada suíça (que acabou ficando com sabor equivalente ao daquele chiclete PUAJJ, sabe?) que ela tomou assim mesmo, deixou cair pizza no chão, e por aí vai.
E olha que eu já vi ela passar por um aperto muito maior do que esse no Shoptime: em 1997 ela estava vendendo uma panela de macarrão com um pegador de macarrão especial, que vinha junto. Só que, o que ninguém dizia, é que aquilo era específico para espaguete, era uma espécie de bengala invertida, com umas ranhuras nas quais os fios de espaguete paravam. Mas a produção, em vez de espaguete, colocou penne na panela. Resultado, o artefato não serviu pra nada, mas ela phez que não percebeu e seguiu em frente.

Bem, boa sorte à Ms. Romanelli nos próximos programas! Afinal, a menos que você fosse Sílvio Santos, Alex Trebek ou Dick Clark, muito provavelmente, você também apresentaria um programa nessas condições de forma parecida, vai…

RedeTV!, urgente: João Kleber desmaia durante o programa!

Até agora eu não entendi o que aconteceu, mas JK estava em uma nova configuração de seu programa, onde ele entrevistava pessoas sentado à uma mesa, mais ou menos lembrando os programas da Mariília Gabriela. Não peguei o momento exato, não estava assistindo o programa porquê o assunto não me agradava, mas o fato é que quando eu liguei a TV de novo, lá estava JK inconsciente na cadeira, e sua entrevistada desesperada. Ao menos ele desmaiou sentado, e assim não se feriu.
Passam-se uns 5, 6 minutos, onde o apresentador é removido do estúdio com uma maca pelos bombeiros e o pessoal que fica de plantão na emissora para esse tipo de ocorrências. Algumas pessoas na platéia choram, entre elas a entrevistada e a presidente do fã-clube do apresentador (que no “Eu vi na TV” esculacha os participantes, JK devia adorar isso…)
Tudo é transmitido com áudio e tudo o mais. O apresentador volta à si, mas ainda parece um pouco atônito e chora compulsivamente. O programa vai para os comerciais e volta com um VT de uma “história sobrenatural” inédita (mas com um final absolutamente previsível: o protagonista “se vê” na cena de um acidente e descobre que está morto. Isso já foi utilizado em outra história dessas). O curioso foi ver a história do começo ao fim sem intervenção alguma de João Kleber, que a essa altura estava em uma ambulância, sendo levado para alguma clínica ou hospital. Se alguém da produção do Tarde Quente estiver lendo, eu queria dizer que isso me prendeu a atenção muito mais do que com JK narrando em cima das falas dos atores, como é desde a fundação da Rede Manchete…

Na história da TV, que eu conheça, antes só os programas de Ratinho e Faustão já ficaram sem seus apresentadores titulares por alguns minutos, mas por motivos bem mais brandos – Ratinho não queria revelar, por ele, o resultado de um exame de DNA que provaria troca de bebês, e Faustão “entregou” o programa para Caçulinha, de brincadeira, e o músico simplesmente não sabia o que fazer, afinal estava sem ponto eletrônico…
O próprio João Kleber foi escolhido por Chacrinha para apresentar algumas edições do “Cassino do Chacrinha” enquanto estava doente – edições raríssimas, pois não sei se você sabe, mas de toda a carreira de Chacrinha, sobraram apenas seis videotapes de programas em todas as emissoras pelas quais o apresentador passou!!! Se alguém gravou isso em VHS, tem imagens que nem a própria Globo tem mais.
[ EDIT: O grosso da carreira de Chacrinha está em VHS, gravado pelos fãs e pelo filho dele, Leleco Barbosa. E depois a indústria do cinema reclama do VHS…]

Não sei ainda o que aconteceu com JK em 22 de março de 2005. O pior é que a Internet e o jornalismo da RedeTV! se calaram quanto ao assunto, nenhuma palavra. Talvez não tenham acreditado que o apresentador desmaiou de verdade… mas como, se JK nunca desmaiou de brincadeira antes?!
(Update: A própria RedeTV! não acreditou no desmaio do apresentador! A única pessoa que tomou alguma atitude foi Amílcare Dallevo, dono da emissora, que mandou cortar o programa e antecipar o seguinte. Mas o apresentador surgiu 2 dias depois dizendo que teve mesmo problemas de saúde, mas já está melhor… e para evitar qualquer problema a mais, acabou mudando todo o conteúdo do Tarde Quente, voltando com quadros humorísticos, lembrando o antigo Canal Aberto. Seja feliz, João Kleber.)