Arquivo da tag: São Paulo

Metrô global

Este blog não fala sobre transportes públicos, mas é uma coisa que eu notei nos mapas à disposição do telespéctadohrrr no site do Metrô de Sâo Paulo. E “global” não se refere ao planeta dos terráqueos, mas sim, à HrRrRede Glóbulo de Telèvisão.

Há muitos anos escuto aquela história de que eles querem fazer em São Paulo uma estrutura semelhante à do Rio no que se refere a novelas e todo o resto. Programas importantes já são feitos em São Paulo há muitos anos, como o Globo Rural, Programa do Jô e, às vezes, o Domingão do Faustão. Mas, no que depender do poder público, o pessoal do Channel Five pode se preparar para receber uma galera da pesada.

A linha 17-Ouro do metrô, que ainda não começou a ser construída, começa com três estações que tem nomes redundantes: Chucri Zaidan, Roberto Marinho e Vila Cordeiro.
Em São Paulo, a Rede Globo fica na Avenida Chucri Zaidan, esquina com a Av. Roberto Marinho, no bairro da Vila Cordeiro. Quer dizer: é provável que ao menos uma dessas estações atenderá às “colegas de trabalho” de Faustão, Jô (futuramente Luciano Huck, quem sabe) e por aí vai. Ou até mesmo duas, sei lá.
O objetivo declarado da Linha 17, no entanto, é ligar o metrô e a CPTM diretamente ao Aeroporto de Congonhas (habitat do nosso querido “O Fã”), próximo (uns 3 km, “muuuuito” próximo) da estação São Judas, da linha 1-Azul. (Para você de Sâo Paulo isso pode parecer redundante, mas no Rio de Janeiro a linha 1 é verde, em Belo Horizonte é cinza, e em Recife é vermelha…)

É, tem essa também: ao contrário dos vizinhos de lá, o poder público ainda aposta no taco do nostálgico aeroporto daonde partiam os Electras para o Rio de Janeiro. Só se construírem aquela história que eu ouvi falar, uma espécie de mega-viaduto prolongando a pista do aeroporto.

Em breve posts melhores.

Calma, não é o fim do mundo! Ainda

Se você ligar qualquer dia desses na Band e ver uma pessoa que… sei lá, não se parece mais com uma pessoa, não se assuste-se-lhes. Dennis Avner, conhecido como o “Homem-Gato”, está no Brasil. Ele já apareceu em reportagens no Domingo Legal fase Gugu, e fez sei lá quantas cirurgias para se parecer com um tigre, algo assim, que lhe custaram uns 200 mil dólares.
Certamente, portanto, ele não fez cirurgias com o Dr. Robert Rey… o programa Dr. Hollywood já mostrou vários casos de cirurgias que foram propostas, mas não foram aceitas pelos cirurgiões. Já as de Avner estão mais para o body modification, e bota modification nisso.

Outro sinal do phim dos tempos é que em 2010 vai haver mais uma prova de automobilismo em São Paulo: Fórmula Indy, e em circuito de rua! Essa está meio dura de acreditar, ao menos até que a Band fale sobre isso na TV. Será que a suspensão dos carros aguenta? A do nosso Gol 98 ainda sofre…

Estúdio de vidro do SPTV já está no ar

Só que com alguns efeitos colaterais: o televisor pelo qual entram repórteres e links parece fraco demais comparado com o ambiente ao redor. E só quero ver como o SPTV segunda edição vai ficar com aquelas famosas chuvas que fazem a alegria dos prefeitos de São Paulo há uns 10 anos…

UMA BREVE HISTÓRIA DO “CHANNEL FIVE”

A Rede Globo São Paulo já foi um “patinho feio” da emissora, mesmo sendo a primeira filial a ser inaugurada (em 1966) e mesmo partindo de lá programas importantes, como Globo Rural e Balão Mágico (o endereço para mandar as cartas era de São Paulo!) na apertadíssima sede da TV Paulista, na Praça Marechal Deodoro. [EDIT: O TV Mulher, programa diário, bem assistido, de boa qualidade e que deixou saudades, também era feito em São Paulo.]
O imóvel seria usado por mais três empresas, depois, que eu saiba: uma produtora independente do Ratinho (a sacanagem é que eles só conseguiram gravar dois programas), o canal evangélico TV Palavra e a TV da Gente, de Netinho di Paula. Atualmente, sei lá como é que anda o negócio… só sei que nas raras vezes que a gente passava por cima do Elevado Costa e Silva e chegava na altura da praça Marechal Deodoro eu me perguntava: “Caramba, mas a Rede Globo fica , nesse sobrado caindo aos pedaços?…” A redação de jornalismo da emissora ficava em uma sala do tamanho de… hã… um cenário de programa sem auditório da Band! Sentiu o drama?
Mas o patinho feio começou a virar cisne quando o Jornal da Globo, com Lilian Witte Fibe, foi transferido para o Channel Five, em 1993, com tudo o que tinha direito, inclusive um “estúdio” só pra ele, que era em um ex-teatro próximo.
Em 1999 a emissora foi para o local atual, na Avenida Dr. Chucri Zaidan, esquina com a hoje Avenida Roberto Marinho, e hoje em dia a situação é muito diferente: 53% do faturamento da Rede Globo inteira vem de São Paulo, no qual pagam os maiores anunciantes, e o que tem até um efeito colateral, o de fazer, de quando em vez, as novelas da emissora serem passadas na cidade. E atualmente, além do Globo Rural, o Brasil inteiro assiste aos programas Altas Horas, Ação, Programa do Jô, desde 2001 o Jornal Hoje, e às vezes, o Domingão do Faustão.
Muitos dizem que Roberto Marinho falsificou os documentos para a compra da emissora (segundo estes, todos os documentos parecem partir de uma só máquina de escrever, e as partes envolvidas tinham CPFs, que na época em que foi feito o negócio, ainda não existiam no Brasil), e que, se isso fosse comprovado pela Justiça, a emissora voltaria para os descendentes dos proprietários antigos! Será que isso acontece?…