Arquivo da tag: Xuxa

Big Beyoncê Brasil

Ana Maria Braga levou ao seu programa uma Mega-Beyoncè para se lembrar que a original está no Brasil. Sei não se superou o dia em que AMB se vestiu de Madonna… O programa tentou levar a original, só que ela teria cobrado um cachê alto demais. Aliás, ouço dizer que os ingressos para os shows dela também são caros pra dedéu. Não sei por quê, acho que Christian Pior vai se manifestar longamente sobre o assunto no dia 21, quando o Pânico na TV voltar com edições inéditas.

Mas a história se repete. Em 1983, na Rede Manchete, um cover de Michael Jackson foi apresentado no Clube da Criança como sendo o original. Ele dançou Thriller, junto com outras pessoas, de casaco vermelho e tudo. Na época deu certo, porquê esse lance de covers estava engatinhando. Na época o programa era apresentado pela futura “madrinha” de AMB, Xuxa Meneghel.
Só me dei conta disso depois, quando MJ enfim veio ao Brasil dez anos depois, em sua carreira solo – ele já esteve antes, em 1974, com os Jackson Five. “Ah, mas como você não percebeu que não era ele na época?” Eu era um alienadaço total e absoluto, e com apenas um único televisor em casa (até 1989), só via o Jornal Nacional. E não comentei o caso com os colegas de escola no dia seguinte. AINDA BEM, se eu comentasse era capaz de eu nem estar aqui hoje…

Ê, trem bão: TV Xuxa reúne integrantes do Trem da Alegria

Aposto que o nosso leitor Hamilton já sabia dessa. Atenção, meus contemporâneos: no próximo TV Xuxa, o reencontro dos ex-integrantes do Trem da Alegria. Vi através da Globo.com que Amanda já esteve nesse programa (ela cresceu e virou uma cantora of the caramba, deixando Xuxa meio desconcertada com seu talento), e agora é a vez de todos os outros. Não costumo ver esse programa, mas está aí a dica.
Xuxa é extremamente famosa, mas duvido que ela torne este post mais lido que o post do Zina, aí embaixo…

Agora eu som livre

Em sua inoxidável coluna, ontem, Flávio Ricco comentou que Xuxa saiu da Som Livre, depois de mais de 20 anos trabalhando nesta, e foi para a Sony/BMG. Nesta gravadora, é provável que Xuxa seja melhor aproveitada internacionalmente, além de poder retomar o projeto Só para Baixinhos.

Não curto lá muito as músicas desta artista (e isto desde quando eu tinha idade para tanto), mas acreditem, para toda regra há algumas exceciones, e tem uma música dela que eu gosto muito, a baladôncia América Geral. Culpa, claro, de Michael Sullivan e Paulo Massadas.

Vale lembrar duas coisas: Houve uma época, há não muito tempo atrás, onde Xuxa foi a ÚNICA artista contratada da Som Livre. O resto era tudo trilha de novelas! Dizia-se que a gravadora estava em decadência. Hoje em dia, algumas duplas de sertanejo universitário phaturam horrores e, quem diria, muito mais que Ms. Meneghel, no selo global, sendo para a Som Livre o que foi Pokémon para o Game Boy (tsgrila, mas em japonês não tem acento!!).  O cachê de shows de algumas dessas duplas já é igual ao de alguns artistas tops de linha do segmento, ou de alguns atletas pernas-de-pau de grandes times, mas aí já é outra história.

E a outra coisa é que… é meio emblemático isso. E, considerando tudo o que aconteceu, é incrível que eles ainda existam. Além de ser homônima daquele banco famoso por seus empréstimos, BMG significa Berliner Music Group.  Emile Berliner foi o cara que inventou os discos, que substituíram os cilindros inventados por Thomas Edison, e com outro engenheiro fundou a Victor, que mais tarde seria incorporada pela RCA.  Hoje, seus sucessores, ao lerem essas linhas, possivelmente se debulhem em lágrimas e praguejem contra os laborátorios Fraunhöfer, mas é melhor lerem direito a história: quando tudo isso começou, os discos eram gravaveis pelo usuário, sabiam ustedes?
Mas talvez eu esteja falando besteiras, porquê o site deles tem simplesmente o nome Sony Music – e só pus o link porquê o site não tem mensagens violentas amedrontando os possíveis compradores de seus produtos.

[UPDATE: Phlávio Ricco informa, um dia depois,  que acontecerá é o seguinte, a Som Livre continua distribuindo a obra video-discográfica já existente de la Juja, tudo o que vocês conhecem, CDs e DVDs, e novos trabalhos sairão pela Sony Music, entre eles um novo XSPB .
Só uma pergunta: Ricco foi diretor do programa Ferreira Netto. Teria sido ele a gritar “Chama o comercial, po@$%!” nos anos 80?… Esta é uma gaphe televisiva que os sites de vídeo andam nos devendo.]

Qual é a novidade?…

Caiu na Internet, e está começando a “causar”, um vídeo de um pastor falando algumas informações curiosas sobre la reína de los chaparritos, la Juja.
Vi o VHS desse vídeo em 1998…  No YouTube há trechos de pregações mais recentes, por volta de 2000, do pastor Josué Yrion, brasileiro radicado nos Estados Unidos e que já pregou em mais de 200 países, isso segundo o VHS de 10 anos atrás. Yrion também versa sobre Barney, diversas produções da Disney e mais recentemente, parece que Pokemón também entrou nessa lista.
Um blog já o chamou de “o Chuck Norris da fé”, pela sua oratória meio à la Alborghetti… Yrion tem tópicos na Desciclopédia e também na Inciclopédia, mostrando que as pregações dele em espanhol também não passaram batidas.
Alguns que acompanham o meu trabalho na Internet sabem que eu cheguei a fazer um site só falando de coisas como essas. Nada contra os que também o fazem atualmente, se o fazem é porquê são mais competentes para isso do que eu, mas hoje penso diferente e prefiro mostrar humor, desenhos e músicas criados por mim em vez de fazer críticas – metafísicas, no caso – aos demais.

Sasha Meneghel vem aí, nos cinemas!

É, aquela mesma. Este ano ela completa 10 years. Quem diria, hein?… Mas o que me surpreendeu foi saber de seu novo projeto: ela vai estrelar um longa-metraje com estréia prevista para o fim do ano: O Fantástico Mistério de Feiurinha. O curioso é como nasceu esse projeto: por iniciativa da própria, ao ler isso na escola, trata-se de um livro de Pedro Bandeira (o mesmo de “A droga da obediência”, que provavelmente muitos conheçam.) A dona Maria acatou el proyecto (ela também participará do filme, craro), e inclusive, esse filme terá cenas filmadas no exterior.
Eu pergunto: o livro é bom mesmo, ou a dona Lívian Aragão, que já está em cartaz ao lado do seo Renato, tem alguma coisa também a ver com isso?… Bem, os fãs aguardam ansiosamente. E vamos ver se ela me sai mais criativa do que su madre, que inventou o programa Juja en el Mundo de la Inmaginación e deu no que deu.